Real valorizado faz com que pedidos de visto para EUA cresçam 70%

O número de entrevistas para emissão de visto americano em Brasília cresceu quase 70% este ano, na comparação com igual período de 2010.

A embaixada norte-americana atingiu, na última quinta-feira, a marca de 50 mil solicitações (veja Personagem da Notícia), contra 29.743 no mesmo dia do ano passado. Com o aumento da demanda, a capital do país saltou para 18º lugar no ranking mundial de pedidos para ingresso nos Estados Unidos. Cinco anos atrás, a cidade ocupava a 61ª colocação.

Em 2010, Brasília realizou 81.005 entrevistas: a de número 50 mil ocorreu em 27 de agosto, três meses mais tarde do que neste ano. Em 2009, foram 63,1 mil solicitações. A embaixada calcula que, se a procura continuar no mesmo ritmo, a capital federal alcançará, em 2011, o patamar histórico de 100 mil pedidos em outubro ou novembro.

Para atender a grande quantidade de interessados no visto americano, a embaixada aumentou, no início do ano, de três para quatro o número de entrevistadores. Até dezembro, haverá mais uma contratação. Durante as cinco horas diárias de trabalho, cada funcionário recebe no balcão, em média, 130 pessoas. Em meses de maior movimento, como maio — quando as pessoas se programam para as férias do meio do ano —, 650 entrevistas chegam a ser realizadas em um único dia.

A embaixada não divulga quantos pedidos há na lista de espera, mas informa que a procura não para de crescer. Conseguir a autorização para entrar nos Estados Unidos pode levar até dois meses e meio. Entre as quatro cidades brasileiras que emitem o visto, Brasília apresentava, na última semana, a previsão mais longa de espera: 133 dias. As entrevistas também podem ser agendadas em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Recife. A capital paulista lidera o ranking mundial de solicitações.

Mutirão
Em junho, para facilitar a vida de quem pretende viajar no início do segundo semestre, a Embaixada deve anunciar oito horas ininterruptas de atendimento em um sábado. Em Brasília, diplomatas serão deslocados para ajudar no trabalho. Seis funcionários atenderão o público — dois a mais do que em dias normais. No ano passado, houve dois mutirões e, em cada um deles, cerca de 800 pessoas garantiram a autorização para pisar em solo norte-americano.

Nova York e Flórida são os destinos mais procurados pelos brasilienses. O vice-cônsul da embaixada norte-americana, Michael Cavey, responsável pela emissão dos vistos na capital federal, conta que, atualmente, cerca de 94% dos pedidos são aprovados, a maioria para negócios ou turismo. Há cinco anos, esse percentual era de 86%. Tem o visto negado quem já morou ilegalmente nos Estados Unidos ou não consegue comprovar vínculo forte com o Brasil.

A valorização do real frente ao dólar e o alto poder aquisitivo do brasiliense são fatores apontados por Cavey para explicar a crescente demanda por vistos em Brasília. “E todo mundo quer conhecer os Estados Unidos”, completa o vice cônsul. Ele diz que as compras continuam sendo a principal atração do país. O Banco Central divulgou na última semana que os brasileiros gastaram, em abril deste ano, US$ 1,943 bilhão em viagens ao exterior, aumento de 58,1% na comparação com o mesmo mês de 2010.

Em setembro, a pedagoga Marize Campelo de Carvalho, 58 anos, passará duas semanas com a filha mais velha em Nova York. Será a primeira de muitas viagens que as duas pretendem fazer aos Estados Unidos. “Chegou minha hora de aproveitar”, afirmou, enquanto aguardava a entrevista para tirar o visto. Com a morte do terrorista Osama bin Laden, no início deste mês, Marize quase desistiu do passeio. “Fiquei preocupada com a segurança, mas, se pensar assim, ninguém viaja nunca”, ponderou.

O aumento do número de excursões para a Disney e de jovens em busca de experiências profissionais e cursos de inglês nos Estados Unidos também contribui para o recorde de emissão de vistos na capital federal. O estudante Danilo César Medeiros, de 15 anos, vai conhecer os parques da Florida em julho, acompanhado do irmão mais novo e de um grupo de amigos. “Sempre tive vontade de ir para os Estados Unidos”, comentou, pouco antes da entrevista na embaixada.

20110528230635684140a 300x198 Real valorizado faz com que pedidos de visto para EUA cresçam 70%
O vice-cônsul Michael Cavey diz que 94% dos pedidos são aprovados

Preços
Há duas semanas, o Correio mostrou como produtos e serviços oferecidos em Brasília — quando se faz a conversão da moeda — custam bem mais do que nas cidades mais caras do mundo, como Paris, Londres ou Nova York, o que impulsiona as viagens internacionais.

Fim da exigência do visto
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, chegou a afirmar que o país estuda rever a obrigatoriedade dos vistos para brasileiros, mas, por enquanto, não há sinal algum de que essa intenção se concretize. Os mais otimistas representantes de entidades do setor de turismo norte-americano acreditam que em um ano o Brasil poderá ser incluído no programa Visa Waiver, em que brasileiros seriam dispensados de visto para entrar nos EUA e vice-versa. A expectativa aumenta com a proximidade da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 no Brasil.

Fique atento
Para viajar aos Estados Unidos é preciso ter em mãos passaporte e visto americano. Para tanto, é necessário reunir uma série de documentos e agendar entrevista. Sobre o passaporte, o interessado encontra informações no site da Polícia Federal: www.dpf.gov.br. Em relação ao visto americano, dúvidas podem ser tiradas no site www.tirarvistoamericano.com.br.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s